BLOG
Climbing Service
03Jul
Proteção contra Quedas em altura

Proteção contra quedas: como garantir no trabalho em altura?

Trabalhos em altura, como aqueles realizados pela Climbing Service, são passíveis de acidentes. Afinal, executar serviços em altura elevada sempre coloca os profissionais em risco. Por isso, é essencial que a empresa de alpinismo industrial implante Sistemas de Proteção contra Quedas para evitar possíveis desastres. Conheça melhor esse conceito e suas metodologias de aplicação, a seguir.

Conheça melhor o Sistema de Proteção contra Quedas

trabalhador utilizando sistema de Proteção contra Quedas

O Sistema de Proteção contra Quedas (SPQ) é um conjunto de medidas e equipamentos adotados para conter os riscos de acidentes em altura. É obrigatória sua utilização sempre que houver necessidade de o profissional trabalhar em altura acima de 2 metros do piso. Acima de tudo, o conceito é um direito de todos os colaboradores e uma obrigação do empregador.
De acordo com a NR 35, todo trabalho em altura demanda soluções coletivas e individuais de proteção contra quedas. Nesse caso, existem duas vertentes que regem o sistema como um todo: Sistema de Proteção Coletivo contra Queda (SPCQ) e Sistema de Proteção Individual contra Queda (SPIQ).

Antes de implantar os sistemas, deve ser feita uma Análise Preliminar de Risco para identificar possíveis circunstâncias perigosas. Em seguida, é feito um planejamento específico para cada função desempenhada com as devidas medidas de segurança.

Principais metodologias de proteção

como ter Proteção contra Quedas?

Queda controlada

Também conhecida como retenção, a queda controlada consiste em adotar providências para conter a queda. Ou seja, os elementos do sistema são escolhidos de acordo com os riscos preestabelecidos no planejamento do trabalho. Nesse caso, medidas e acessórios de segurança são elaborados para absorver a energia potencial gerada por um eventual tombo. Consequentemente, devem permitir a resistência do trabalhador. Para isso, são usados cintos de segurança, elementos de conexão e dispositivos de ancoragem.

Trabalho posicionado

O principal objetivo dessa metodologia de proteção contra quedas é posicionar os trabalhadores da melhor forma possível. Além disso, permite que o profissional trabalhe com as mãos livres. Nesse modelo, são empregados cinturão abdominal de posicionamento, argolas laterais de ancoragem na cintura e talabartes de posicionamento. É válido ressaltar: esse método deve ser utilizado junto à queda controlada.

Trabalho restrito

A restrição, como também é conhecida essa metodologia de proteção contra quedas, é considerada um sistema de prevenção. A nomeação ocorre devido ao seu funcionamento: o método consiste em limitar o acesso dos profissionais a lugares onde haja risco de quedas. Para isso, são empregadas linhas de advertência e zonas de entrada controlada. Obviamente, quando não há meios de evitar a exposição dos trabalhadores ao perigo, outra medida de segurança deve ser adotada.

Acesso por cordas

Em resumo, essa técnica compreende o uso de cordas e outros equipamentos de proteção para subir, descer e se deslocar horizontalmente. O acesso por cordas também é utilizado em métodos de posicionamento. Da mesma forma que a metodologia do trabalho posicionado, também deve ser combinado com a queda controlada.

Gostou do nosso artigo sobre proteção contra quedas? Então, aproveite a visita e conheça o blog da Climbing Service! Lá, apresentamos notícias, fatos e curiosidades sobre alpinismo industrial. Em nossos artigos, já abordamos temas como a importância da NR 35, procedimentos de primeiros-socorros e dicas de segurança para trabalho em altura.

Você também pode contar com a Climbing Service para executar todo tipo de trabalho em altura! Somos especialistas em limpeza e pintura de fachadas, instalação de ACM e pele de vidro, instalação e manutenção hidráulica, tratamento de superfície e muito mais! Entre em contato conosco e solicite já seu orçamento.

Posts RecentesCategoriasTags